‘Há muito tempo que o servidor não reivindica aumento de salário’, diz coordenador geral do Sintaj

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

O coordenador geral do SINTAJ (Sindicato dos Servidores dos Serviços Auxiliares do Poder Judiciário do Estado da Bahia), Antônio Jair afirmou que atualmente os trabalhadores do Judiciário baiano não têm e nem exigem aumento real na sua remuneração. “Há muito tempo que o servidor não reivindica aumento de salário. A gente reivindica a reposição da inflação”, explicou o dirigente. “Cerca de 20% do salário do servidor já foi corroído e a gente não tem correção. Isso prejudica o orçamento familiar do trabalhador”, complementou.

A declaração foi dada por Jair durante a participação do coordenador no Programa do Trabalhador, transmitido pela rádio Metrópole e comandado pelo jornalista Raniere Alves, no último sábado (20). O líder sindical possui uma participação fixa na atração que vai ao ar quinzenalmente aos sábados das 7h às 8h. Além de Antônio Jair outros dirigentes sindicais também participam do programa.

Durante a fala o dirigente também abordou a expectativa dos trabalhadores da Justiça baiana para a próxima gestão do TJ-BA (Tribunal de Justiça da Bahia). “A gente espera que ele [o presidente eleito do TJ-BA, Gesivaldo Britto]pague os passivos que o Tribunal deve ao servidor. São dívidas históricas que o Tribunal tem com o trabalhador que já chega a um valor de cerca de R$ 400 milhões. Além disso, também queremos a elaboração de um plano de cargos e salários para corrigir as distorções salariais entre os servidores”, relatou.

Jair também falou sobre a vitória do SINTAJ no processo do abono pecuniário. “Entre 2011 e 2015 o servidor tirava vinte dias de férias e vendia dez. Só que o Tribunal fez o cálculo errado para o pagamento desses dez dias. Aí o Sintaj entrou com um processo administrativo pedindo a correção desse cálculo e conseguimos fazer com que o Tribunal pague mais um de tantos passivos que deve aos trabalhadores”.

O coordenador ainda aproveitou o final da entrevista para conclamar o povo brasileiro a lutar contra a Reforma da Previdência. “Não nos enganemos. Essa reforma vai ser extremamente prejudicial ao trabalhador. Ela vai ser votada no dia 19 de fevereiro e nós faremos uma grande mobilização em Brasília. Esperamos que haja uma grande manifestação em Brasília e que as pessoas façam também mobilizações em seus estados para que a gente possa parar essa reforma”.

A próxima edição do Programa do Trabalhador será dia 3 de fevereiro.

 

sindicato FORTE, servidor RESPEITADO!

Comments

comments

Compartilhar

Deixe uma resposta