Sinjur amplia transparência à categoria com ferramentas de controle e gestão

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Quando uma entidade representa os interesses de uma categoria, além das lutas por melhorias de condições laborais, remuneração e garantia de direitos, é preciso zelo e transparência na gestão de recursos e do patrimônio. De olho nessa necessidade, com pouco mais de quatro meses de gestão, a Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário de Rondônia (Sinjur) criou a página da transparência, o Serviço de Atenção ao Filiado e iniciou a implantação do sistema de gestão sindical, um software que irá modernizar a entidade e levá-la à era da tecnologia. Todas essas ações fazem parte do plano de trabalho do Sinjur, que prepara, para breve, outras novidades, a exemplo do App Sindical, a ampliação da rede de convênios e a remodelação de ações que já aconteciam, como a Festa do Servidor.

Prestação de contas

O sindicato, assim como os condomínios, cooperativas, associações e o próprio poder público, deve prestar contas constantemente. Nesse sentido, convidamos todos os servidores a conhecer a Página do Transparência do Sinjur, na qual encontrará uma série de informações claras e abertas sobre os gastos da entidade, esta, aliás, uma novidade que demorou 29 anos para se concretizar. “Existe uma previsão no Estatuto de que essas informações contábeis, incluindo o fluxo de caixa, sejam analisadas a cada três meses pelo Conselho Fiscal. Desde abril esses documentos foram disponibilizados aos membros desse órgão, e um resumo dos três primeiros meses foi aberto a toda sociedade”, informou o Diretor Financeiro do Sinjur, Rafael Ricci.

 Acesse a página da transparência – Nota explicativa sobre os movimentos contábeis

ID sindical

Segundo a Presidente do Sinjur, Gislaine Caldeira, não há novidade nos gastos. O ineditismo, em verdade, fica por conta da ampla e irrestrita divulgação desses dados, passo este que não permitirá retrocessos. Em breve, com a implantação definitiva do software de gestão, todo filiado também poderá não só ver os balancetes, mas também acessar notas fiscais, extratos e outros documentos. O novo sistema também permitirá a emissão “on-line” da carteira de filiado (ID Sindical), que será disponibilizada ainda por meio de um aplicativo para celulares já em construção. “Desse modo, não será mais necessário imprimir declarações para acesso aos descontos em produtos e serviços galgados por meio de mais de 30 convênios, em diversas Comarcas do Estado”, explica Amauri Koike, Diretor Socioassistencial. Ele coordena um trabalho de interiorização dos convênios, como exemplificam os recentes convênios em Jaru, São Miguel do Guaporé e Ji-Paraná.

Para quem utiliza os hotéis de trânsito da Capital e de Ji-Paraná, o software adicionará ainda mais transparência e rapidez através da reserva “on-line”, com “check-in” e “check-out” feito pelo próprio filiado ou dependente que deseja se hospedar.

Atenção ao filiado

Nesse curto período de gestão, o SAFI deu vazão a uma demanda até então reprimida pela falta de uma ferramenta específica, mostrando-se extremamente importante para toda a categoria. Cuida de um canal de comunicação direta entre o filiado e a direção do Sindicato e, desde janeiro, mês de sua implantação, já recebeu mais de 50 pedidos de informações, críticas, sugestões e elogios. Este número bem demonstra que a novidade foi bem recebida.

O SAFI, contudo, não diminuiu a importância e o trabalho dos delegados sindicais, que continuam atuantes na cobrança por ações e informações por parte da categoria. “Somos constantemente acionados pelo celular, por e-mail ou pessoalmente com legítimas reivindicações dos delegados. Já fizemos a reunião ordinária semestral, em março, na cidade Ji-Paraná, e isso aproximou ainda mais o Sistema Diretivo do Sindicato”, informa a Diretora de Formação Sindical, Jussara Leopoldo.

Reivindicações 2019

Mas nem só de arrumar a casa vive uma entidade sindical. Por isso, paralelamente a esse trabalho de estruturação, é uma constante a cobrança e as negociação com a Administração do Tribunal de Justiça. O Sindicato, com a colaboração imprescindível dos Delegados Sindicais, construiu uma pauta de reivindicações voltada a projetos garantidores de orçamento e melhorias salarias, além de outros que não monetários. Nessa esteira cumpre lembrar da recomposição salarial, prevista ano passado em 2,5%, mas fixada em 4% para 2018, bem como do pedido de criação da Gratificação de Comarcas de Difícil Provimento (também conhecido como Adicional de Fronteira), elaborado em 2016, mas amplamente reforçado para a pauta de 2019: não só compõe documento enviado ao TJRO, como também fez parte da manifestação oral feita da Presidente do Sinjur, na audiência pública de 17 de abril deste ano, na Capital. Uma das reivindicações é a recomposição salarial de 12,65% para 2019.

VEJA A PAUTA ENTREGUE AO TJRO PARA O ORÇAMENTO 2019

Neste mês de maio, uma conversa franca e direta está sendo levada à base, por meio de visitas às comarcas. Reunidos nos Cartórios ou nos plenários do Júri, os filiados ouvem as informações repassadas, tiram dúvidas, fazem críticas e mantém aberto o canal de informação e relacionamento. A Diretoria já passou por Ouro Preto, Jaru, Machadinho do Oeste, Buritis e Ariquemes, além de prédios na comarca de Porto Velho. “É uma ação olho-no-olho, às claras, sem meias palavras ou enrolação”, afirmou Gislaine Caldeira.

Comments

comments

Compartilhar

Deixe uma resposta