Novembro Azul: mês de prevenção ao câncer de próstata alerta sobre a importância de se cuidar

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Campanha da Fenajud “Cuidar da saúde também é coisa de homem” visa alertar a população masculina sobre os cuidados com o corpo.

Novembro Azul é um movimento mundial que acontece durante este mês para reforçar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. A doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros – de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Estima-se que serão mais de 68 mil novos casos da doença ainda em 2018. E as maiores vítimas são homens a partir dos 50 anos, além de pessoas com presença da doença em parentes de primeiro grau, como pai, irmão ou filho.

Para alertar sobre a importância de os homens cuidarem da saúde, a Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados (Fenajud) vai tratar do tema, em parceria com os sindicatos filiados, por meio da campanha “Cuidar da Saúde também é coisa de homem”. A Federação vai falar abertamente sobre os tabus que rondam o comportamento masculino quando o assunto é o exame de próstata. A ideia é tornar os homens mais conscientes e alertar para alguns procedimentos que podem ajudar na prevenção e no cuidado com o corpo.

O câncer de próstata é um tumor que acomete homens maduros e pode ser curado quando ainda está localizado. Se identificado já em estágio avançado, o risco de sobrevida do paciente é muito menor. Portanto, o diagnóstico precoce é fundamental no controle e cura da doença. Quanto mais avançado é um tumor mais mutações ocorrem, conferindo maior agressividade.

Fatores de risco

Antecedente familiar assume grande importância – um paciente cujo pai ou tio tiveram câncer de próstata tem o dobro de risco para desenvolver a doença do que a população em geral. O risco é ainda maior para os homens que têm um irmão com a doença. Se o paciente tiver menos de 65 anos e mais de um parente afetado pela doença, o risco aumenta de 6 a 11 vezes.

Já os homens com parentes do primeiro grau com câncer de próstata, diagnosticados com menos de 55 anos, podem ser portadores de câncer de próstata hereditário (menos de 2% dos casos).

Sintomas

Na fase inicial, a maioria dos pacientes não apresenta sintomas relevantes, mas podem apresentar sintomas relacionados à outra doença comum que acompanha o envelhecimento do homem, a hiperplasia prostática benigna, com sintomas miccionais leves a moderados de dificuldade miccional. Nenhuma anormalidade pode ser observada ao toque ou pode-se sentir um nódulo endurecido na próstata.

Na doença avançada, podem ocorrer sintomas mais intensos obstrutivos miccionais causado pelo crescimento local do tumor com compressão da uretra prostática. Em alguns casos os sintomas são decorrentes da doença que está se espalhando pelo organismo, principalmente para os ossos ou pelo seu crescimento loco-regional, causando obstrução dos rins pela invasão dos ureteres.

Diagnóstico

De acordo com o INCA, em homens acima de 50 anos, pode-se realizar o exame de toque retal e dosagem de uma proteína do sangue (PSA), por meio de exame de sangue, para saber se existe um câncer de próstata sem sintomas. O toque retal e a dosagem de PSA não dizem se o indivíduo tem câncer, eles apenas sugerem a necessidade ou não de realizar outros exames.

O toque retal identifica outros problemas além do câncer de próstata e é mais sensível em homens com algum tipo de sintoma. O PSA tende a aumentar de acordo com o avanço da idade. Cerca de 75-80% dos homens com aumento de PSA não têm câncer de próstata.

Tratamentos

O tratamento padrão para o câncer de próstata é a prostatectomia radical, que consiste na retirada da próstata, das vesículas seminais e linfadenectomia ilíaco-obturadora bilateral. A linfadenectomia estendida está indicada para pacientes considerados de risco intermediário e alto.

Os médicos que tratam de câncer de próstata são urologistas, oncologistas radioterapeutas e oncologistas clínicos. Pode ser proveitoso para o paciente conversar com especialistas de cada um desses campos.

Prevenção

Alguns médicos recomendam a realização do toque retal e da dosagem do PSA a todos os homens acima de 50 anos. Para aqueles com história familiar de câncer de próstata (pai ou irmão) antes dos 60 anos, os especialistas recomendam realizar esses exames a partir dos 40 anos. Entretanto, vale lembrar que somente o médico pode orientar quanto aos riscos e benefícios da realização desses exames. Não existem evidências de que a realização periódica do toque retal e dosagem de PSA em homens que não apresentem sintomas diminua a mortalidade por câncer de próstata.

Manter uma alimentação saudável, não fumar, ser fisicamente ativo e visitar regularmente o médico contribuem para a melhoria da saúde em geral e podem ajudar na prevenção deste câncer.

Prevenir é a melhor solução. Faça o exame e deixe o preconceito de lado.

Essa luta também é nossa: todos contra o câncer de próstata.

 

Comments

comments

Compartilhar

Deixe uma resposta