SERJAL e Almagis discutem ações conjuntas em interesses comuns de juízes e servidores

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Unidos somos mais fortes. Esse é o lema da atual diretoria do SERJAL, para fortalecer as lutas de interesse dos servidores do Judiciário alagoano.  E foi com essa intenção que a diretoria da entidade se reuniu, na manhã desta segunda-feira (7), com a diretoria da Associação Alagoana de Magistrados, Almagis, para discutir possibilidades de ações conjuntas das duas entidades, em questões que envolvam interesses comuns das duas categorias.
“Vamos somar no que pode nos fortalecer. Embora algumas vezes tenhamos interesses divergentes, há situações que afetam servidores e magistrados, como os problemas estruturais e as condições de trabalho nas comarcas, e nessas questões podemos somar forças na busca de soluções. Isso não afeta de modo algum a identidade e a independência das duas representações de classe”, destaca o presidente do SERJAL, Aluciano Martins.
Um exemplo é a questão do estacionamento do Fórum do Barro Duro, cuja escassez de vagas tem prejudicado servidores e magistrados lotados naquela unidade judiciária. Mês passado a diretoria do SERJAL se reuniu com o diretor do Fórum, juiz Emanuel Dória, em busca de solução. Foi quando surgiu a ideia de unir forças com a Almagis nessa pauta, já que o problema afeta as duas categorias.
Na reunião desta segunda-feira, a convite da Almagis o juiz Ney Alcântara, presidente da Associação dos Magistrados, explicou que existem diversas outras demandas específicas, até mesmo no âmbito nacional, comuns à magistratura e aos servidores do Judiciário, e que a atuação conjunta pode trazer maior possibilidade de êxito.  “Muitos pleitos dos servidores são também nossos e por isso o ideal é nos unirmos para garantir que sejam concretizados”, frisou o magistrado.
Ele propôs que sejam realizadas reuniões conjuntas das duas entidades, uma vez por mês, para discutir os temas comuns., a exemplo da Resolução nº 219, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
Na avaliação do presidente do SERJAL, a iniciativa é uma quebra de paradigma na relação institucional entre magistrados e servidores. A diretoria do Sindicado foi representada também pelo de Formação Político Sindical, Cleysson Francisco, e pelo assessor da diretoria, advogado Thiago Machado.

Comments

comments

Compartilhar

Deixe uma resposta