Fenajud participa de luta no Rio Grande do Norte que garante direitos dos servidores estaduais

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

A Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados esteve presente durante todo debate, por meio do coordenador regional Nordeste, Alexandre Lima. 

Esta quinta-feira (31) pode ser considerada um dia histórico para os servidores públicos estaduais do estado do Rio Grande do Norte. Com participação efetiva da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados (Fenajud) – por meio do coordenador regional Nordeste, Alexandre Lima – a categoria conseguiu articular politicamente com a base, com o fórum dos servidores e mostrou resistência e indignação aos Deputados e Governador. A pressão funcionou e o Pacote de Maldades sofreu reveses importantíssimos.

A primeira grande vitória foi com relação ao adicional por tempo de serviço (ADTS). O Governo, por meio do seu líder foi obrigado a pedir a retirada da matéria, pois não tinha votos suficientes para passar a proposta. Mexer no ADTS/quinquênio era acabar com planos de cargos e carreiras.

A segunda conquista foi a manutenção da paridade entre ativos, aposentados e pensionistas. E a terceira grande vitória foi impedir que o projeto que aumenta a alíquota da previdência fosse votado durante as sessões extraordinárias. Mas, os trabalhadores e as trabalhadoras estaduais permanecerão atentos e lutarão com todas as forças contra mais essa maldade.

Para Alexandre Lima, a participação ativa da Fenajud foi fundamental neste processo, já que “em todos os debates e atividades que foi chamada pelo fórum esteve presente ativamente”. Alexandre acredita que a luta não para por aqui. “Os trabalhadores do judiciário estadual que atuam no Rio Grande do Norte sempre terão nosso apoio em suas lutas, é uma luta de todos e não podemos desamparar nossos companheiros e companheiras neste momento difícil, em que vive o trabalhador brasileiro. A Fenajud sempre estará a postos e pronta para auxiliar a categoria no que for necessário” finaliza.

Para o sindicato do Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Norte, Sindjustiça-RN, “O golpe não foi em partido político. O golpe foi em nós trabalhadores e servis de um governo federal e estadual que quer entregar de mãos beijadas o nosso país aos empresários, aos industriais, aos políticos empresários, aos banqueiros, as multinacionais a nossa maior riqueza que não é ouro, não é mata, não sal, não é petróleo. A maior riqueza desse país é o seu povo, trabalhador, honesto, decente, que fez esse país crescer”.

Aumento da alíquota 

As lutas continuam. Os servidores ainda devem lutar contra o aumento da alíquota da previdência de 11% para 14%. Não foi apreciada nessas sessões extraordinárias que encerraram, pois ainda está passando pelas comissões. Irá para o rito normal e devemos continuar nos articulando para que essa matéria também seja derrubada. Placar a favor do servidor público e da população, que é a parte mais interessada que a mão de obra não paralise.

Com informações do Sindjustiça-RN

 

 

Comments

comments

Compartilhar

Deixe uma resposta